COMPARTILHE E AJUDE INFORMAR MAIS PESSOAS


O candidato do PT à Presidência da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), prometeu retomar o crescimento econômico e retirar o Brasil do mapa da fome. Em comício em Montes Claros, no norte de Minas Gerais, ele disse que o país retrocedeu várias décadas em relação à insegurança alimentar.

“Em Minas Gerais são 2 milhões de pessoas passando fome, no Brasil são 33 milhões”, declarou Lula. Ele discursou no início da noite, acompanhado do ex-prefeito de Belo Horizonte e candidato ao governo de Minas Gerais, Alexandre Kalil (PSD), e do candidato à reeleição ao Senado pelo estado, Alexandre Silveira (PSD-MG). De acordo com Lula, a fome tem fatores tanto econômicos como de falta de gestão pública. 

Lula prometeu trabalhar para retomar os direitos dos trabalhadores. “A massa salarial caiu muito. As pessoas estão sem carteira assinada, sem nenhuma seguridade social, descanso semanal. Hoje, o Brasil não tem nenhum respeito. Virou uma espécie de vergonha mundial”.

Antes do comício, Lula concedeu uma entrevista coletiva e disse que Minas Gerais foi o estado que mais visitou desde as articulações para a criação do Partido dos Trabalhadores, no início dos anos 1980. “O estado de Minas Gerais é o que eu mais visitei. Posso até dizer pra vocês que tem governadores de Minas Gerais que não viajaram pelo estado o tanto que eu viajei desde os anos 1980, quando viajei com o sindicato para construir o PT”, declarou.

O candidato reconheceu a importância do estado, o segundo maior colégio eleitoral do país, para a definição das eleições presidenciais. “Há vários estados importantes na Federação e Minas foi colocado na minha pauta como estado preferencial, não apenas para eleger meus companheiros que participam, deputado estadual, federal e senador, mas eleger nosso Kalil governador. E vou pedir voto pra mim também”, disse.

Após o comício, Lula pretende passar a noite em Montes Claros. Na manhã desta sexta-feira (16), ele deverá visitar duas fazendas com certificação de práticas sustentáveis, nos municípios de Jequitaí e São João da Ponte, no norte mineiro. À tarde, ele viaja para Porto Alegre, onde fará um comício no fim do dia.