COMPARTILHE E AJUDE INFORMAR MAIS PESSOAS


A candidata à Presidência da República pelo União Brasil, Soraya Thronicke, defendeu nesta quinta-feira (15) a adoção de um imposto único no país. Segundo a candidata, a atual carga tributária brasileira estimula a sonegação de impostos.

“Nosso sistema tributário estimula a sonegação. A nossa proposta não aumenta a tributação. Mantém a arrecadação tal como é, mantém a redistribuição dos recursos para estados e municípios, por isso não há celeuma em relação a governadores e prefeitos. Mantemos a tributação, apenas mudamos a forma de arrecadar para que incida sobre 100% da população e quando todos pagam, todos pagam menos”, disse.

A candidata participou do Diálogo com os Presidenciáveis, evento organizado por Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (Anfip), Sindicato Nacional dos Auditores-Fiscais da Receita Federal (Sindifisco) e Federação Nacional do Fisco Estadual e Distrital (Fenafisco), em São Paulo-SP.

“Essa deve ser a discussão central do Brasil”, afirmou. “O imposto único federal está maduro o suficiente para passar de uma forma fácil dentro do Congresso Nacional. Primeiro é o respeito ao pacto federativo. Nós iniciaremos com a substituição de 11 tributos federais por um imposto só”, acrescentou a candidata.

Segundo Soraya, a medida excluiria o Imposto de Renda, de importação e de exportação.

“A carga tributária pesa sobre o ombro de 70% dos brasileiros e incide sobre o consumo, então não é progressiva. É injusta. A população arca com isso. Seja pobre, seja rico, seja milionário, todo mundo vai pagar. Trinta por cento da população ou sonega ou é da informalidade, ou é da criminalidade e aí tem evasão de divisas, lavagem de dinheiro, uma série de questões”, argumentou.