COMPARTILHE E AJUDE INFORMAR MAIS PESSOAS


A candidata do PCB à Presidência da República, Sofia Manzano, defendeu hoje (23) nas redes sociais uma reforma “estrutural profunda” do Judiciário e do Ministério Público, de forma a dar transparência a suas atividades, bem como para evitar que sirvam de “instrumento” de proteção dos ricos, e de punição aos pobres.

“O Judiciário brasileiro tem sido, ao longo dos tempos, um instrumento das classes dominantes para punir os pobres e proteger os ricos”, escreveu Sofia Manzano no Twitter. “Para reverter essa situação propomos uma reforma estrutural profunda de todo o Judiciário brasileiro (o que inclui necessariamente o Ministério Público), tanto do ponto de vista da legislação, quanto do controle social”, acrescentou.

Sofia defendeu “transparência sobre a atividade da Justiça e, especialmente, que os juízes nomeados para os tribunais regionais e superiores tenham mandato fixo sob controle social, ou seja: elegíveis e revogáveis pelo poder popular em sua respectiva jurisdição”.

Na mesma rede social, ela reafirmou seu compromisso com o aumento do investimento público na rede federal de educação profissional, científica e tecnológica e com a formação integral de jovens da classe trabalhadora, “tendo como base o trabalho, a pesquisa e a extensão como princípios educativos”.