COMPARTILHE E AJUDE INFORMAR MAIS PESSOAS


Em visita ao Sindicato Nacional dos Professores de Instituições de Ensino Superior (Andes SN), em Brasília, a candidata do PSTU à Presidência da República, Vera Lucia, reiterou seu compromisso programático com a defesa de uma universidade pública, gratuita, laica e de qualidade. Durante o encontro, ela recebeu o documento Carta dos Andes, com uma série de medidas defendidas pela categoria.

“A defesa da universidade pública é parte do nosso programa e da nossa luta cotidiana. Por isso defendemos ampliação dos investimentos que a cada ano vêm sendo reduzidos. É preciso aumentar os recursos para garantir qualidade de ensino”, disse a candidata.

Entre as prioridades de investimentos a serem feitos na educação, Vera listou pontos como melhores salários a técnicos e professores e melhores condições de trabalho. Defendeu também medidas que visem garantir a permanência dos estudantes nas universidades: “não basta ampliar o acesso. É preciso garantir a permanência dos estudantes, em particular dos mais pobres; das negras e negros; dos LGBTs, indígenas e das mulheres trabalhadoras”.

A candidata defende também a ampliação das políticas de assistência estudantil como restaurantes universitários, moradias estudantis, bolsas de pesquisas e creches para os filhos dos professores, técnicos administrativos e estudantes. “Também fazemos a defesa das cotas para negras, negros, indígenas e estudantes de escolas públicas, para democratizar o acesso, na perspectiva de acabar com o vestibular e garantir o acesso amplo a todos”, completou.

Vera disse que, se eleita, vai investir em pesquisa e na extensão, garantindo o avanço da ciência e ampliar a presença da universidade junto à população, em especial às comunidades mais pobres. “Afirmamos nossa defesa do ensino público. Defendemos estatizar toda rede privada de ensino superior, pois a educação não é mercadoria, mas direito de todos e dever do Estado”.