No DF, presidente do TSE acompanha teste de integridade das urnas


O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Alexandre de Moraes, votou pela manhã em São Paulo, onde mantém residência, e em seguida foi a Brasília, onde no início da tarde acompanhou o teste de integridade com a utilização da biometria de eleitores, em uma escola da capital do país.

Neste ano, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) conduz o teste de integridade, sempre realizado no próprio dia de votação, em 641 urnas eletrônicas, que são sorteadas ou escolhidas pelas entidades fiscalizadoras das eleições.

Os testes, que são filmados, consistem em uma espécie de votação fictícia, em que servidores do TSE depositam na urna votos previamente conhecidos e depois  fazem uma checagem para saber se o boletim emitido pelo equipamento corresponde exatamente aos votos que foram teclados.

Tradicionalmente, tais testes ocorrem na sede dos tribunais regionais eleitorais, mas este ano o TSE concordou com uma sugestão das Forças Armadas e decidiu selecionar seis urnas para serem testadas em suas próprias seções eleitorais, utilizando para isso a biometria de eleitores reais.

“O teste serve para comprovar que o programa da urna retrata com absoluta fidelidade o que o eleitor teclou na urna”, disse Moraes em uma escola de Brasília, onde o teste de integridade é conduzido Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal (TRE-DF). O eleitor “simplesmente cede sua biometria e, a partir disso, são os servidores que realizam o teste”, frisou o presidente do TSE.

Moraes afirmou ainda que o teste de integridade serve “justamente para comprovar que o que foi colocado na urna é a vontade do eleitor, como sempre foi”. Outros ministros do TSE também acompanharam o procedimento, como Sergio Banhos e Benedito Gonçalves, que é também o corregedor-geral Eleitoral.

“O teste de integridade com biometria está sendo bem recebidos, os eleitores não estão se recusando a participar. Isso vai mostrar que as urnas são seguras”, disse o presidente do TRE-DF, desembargador Roberval Belinati.

Também estiveram presentes o vice-procurador-geral Eleitoral, Paulo Gonet, o presidente em exercício do Tribunal de Contas da União (TCU), Bruno Dantas, e o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Beto Simonetti.



Blogs Parceiros