COMPARTILHE E AJUDE INFORMAR MAIS PESSOAS


A candidata do União Brasil à presidência da República, Soraya Thronicke, assinou hoje (9) uma carta-compromisso contra o trabalho escravo contemporâneo, elaborada pela Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra). No documento, a candidata se compromete a não permitir influências em suas decisões que impeçam a sanção de leis ou a implementação de providências necessárias à erradicação do trabalho escravo. 

“Vamos coibir o trabalho escravo contemporâneo, o tráfico de pessoas e sancionar todas as matérias, todos os projetos de lei atinentes à temática. Estou absolutamente comprometida com a Anamatra”, disse Soraya.

Entre os compromissos assumidos pela candidata está o de apoiar o cadastro de empregadores que tenham submetido trabalhadores a condições análogas à de escravo, conhecido como a “lista suja”, mantido pelo governo federal desde 2003; e efetivar as ações constantes do 2º Plano Nacional para a Erradicação do Trabalho Escravo, e dos planos estaduais e municipais.

Thronicke se comprometeu ainda a renunciar ao mandato caso seja encontrado trabalho escravo sob sua responsabilidade ou em seus empreendimentos particulares, e também a exonerar qualquer pessoa que ocupe cargo público de confiança, sob gestão de seu governo, que venha a ser responsabilizada por se beneficiar de mão de obra escrava.

Além da Anamatra, 13 entidades participam da iniciativa da carta-compromisso, como a Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) e a Associação Nacional dos Procuradores e das Procuradoras do Trabalho (ANPT).

Nesta sexta-feira, a agenda da candidata previa ainda gravação de propaganda eleitoral, entrevista para o grupo O Liberal, do Pará, e para uma cadeia de veículos de comunicação do Amapá, do Maranhão, do Mato Grosso, de Tocantins, do Amazonas, de Rondônia, de Roraima e do Acre; e também para o Portal Conexão Poder, do estado de Mato Grosso.